Caia na real: Nós nascemos DJs, mas não produtores musicais.

Muitos de nós desde a adolescência, desenvolvemos a prática de selecionar músicas,  mas para ser produtor musical (desculpa se eu vou te desanimar), vai ser preciso desenvolver uma série de conhecimentos em: Hardware, Software, Teoria musical, Percepção rítmica, Sintetizadores, Engenharia de áudio, Composição, Mixagem, Masterização, Mercado e Marketing. Não ter conhecimento de apenas um destes assuntos, pode ser sinônimo de fracasso.

É por esse motivo que alguns artistas começam a se enveredar por esse caminho e logo param. Um curso de produção musical, pode ajudar muito neste estágio, pois em  relativamente pouco tempo você vai ter uma visão geral de todas as ferramentas necessárias para desenvolver esta arte. Uma nova forma de aprender sobre Produção Musical é através do BIG SCORE, dou aulas por lá e a ferramenta permite que você aprenda e ganhe dinheiro ao mesmo tempo.

Por onde eu começo?

set up basico de producao musical

Set-up básico

A definição de set-up básico pode variar muito de produtor para produtor musical. Alguns conseguem trabalhar com laptops munidos apenas de um par de headphone. Outros só consegue atingir uma qualidade profissional em um grande estúdio com tratamento acústico e monitores de alta fidelidade.

Pensando de uma maneira bem generalizada: Você vai precisar dos hardwares que é vai compor a parte física do seu estúdio (Computador, Placa de Som, Controladores MIDI, sintetizadores, cabos e processadores de áudio) e os softwares (DAW/Sequenciador, instrumentos virtuais, efeitos e processadores de áudio virtuais e plug-ins).

Não imagine que o um equipamento melhor vai fazer criar músicas melhores, comece trabalhando com o que você tiver e vá melhorando aos poucos.

Hardware (Computador, Placa de Som, Controladores MIDI, sintetizadores, cabos e processadores de áudio):

Como virar produtor musical

Computador: Vá com calma, muitas pessoas saem correndo comprando tudo o que vem pela frente, mesmo não sabendo o porquê. Provavelmente o computador que você usa para acessar a internet serve para iniciar os seus estudos e também para terminar as primeiras músicas.

Placa de som: A sua placa on-board (a que vem com o computador) pode ser uma boa alternativa para as suas primeiras experiências, se a sua idéia for gravar instrumentos acústicos e voz, vai ser inevitável um investimento em uma placa profissional.

Sintetizadores de hardware: Faz um bom tempo que os softwares vem ganhando qualidade igual aos hardwares com muita praticidade, é por isso que alguns estúdios anos atrás custavam milhares de reais e só cabiam em grandes salas e agora cabem no seu laptop.

Caixas de som: Para começar o seu 3 em 1 ou caixinhas de computador pode ser uma alternativa barata, com o tempo procure investir em monitores profissionais que tem uma resposta mais real.

Softwares (existem diversas opções de DAWs – Digital Audio Workstation, é nele que você vai compor, mixar e masterizar as suas músicas):

Ableton Live (Mac e Windows): mais voltado para a música eletrônica, com uma mecânica moderna. É o software que mais ganha adeptos atualmente.
Cubase (Mac e Windows): Software robusto, presente em muitos estúdios, os efeitos e sintetizadores nativos poderiam ser melhores mas a qualidade geral é excelente.Frul Fruit Loops (Mac e Windows): Faz a cabeça de muitos produtores de Hip-Hop
Reason (Mac e Windows): Software que recria um estúdio analógico dentro do seu computador.
Logic (Mac): É o software utilizado por alguns dos melhores produtores musicais, tem uma mecânica complicada de ser entendida e aplicada, mas que tem ótima qualidade final.

Sintetizadores e Plug-Ins: O primeiro passo, é começar a conhecer e desvendar os instrumentos e processadores de efeitos nativos do seu sequenciador. Só depois você deve adquirir novos sintetizadores e plug-ins para aumentar o seu arsenal sônico.

  • Teoria musical e percepção rítmica

Você consegue fazer música sem conhecer profundamente essa dupla, mas essa área não tão difícil como parece, em algumas poucas aulas esses conceitos podem acelerar a sua caminhada.

  • Composição

Um exercício que eu sempre recomendo é o de escutar uma música analisando todos os seus elementos. Isso vai te dar uma idéia geral de como mudanças de timbre, notas, modulação e tudo o que dá vida para a música acontece.

  • Mixagem e Engenharia de áudio

Esse campo é bem complicado, muitas vezes nesta área menos é mais. Muitos produtores (principalmente os europeus) deixam esta parte para um profissional especializado, eu aconselho que você também domine essa arte para poder criar mais sem precisar pagar para um terceiro. Infelizmente no Brasil não existe nenhum profissional especializado neste tipo de serviço.

  • Mercado e Marketing

Muitos começam a divulgar suas músicas antes de ter um nível profissional, no início concentre-se em melhorar a sua técnica para depois começar a comercializar. Com o tempo você deve começar a produzir menos e divulgar mais.

Faça diferente para fazer melhor

Seja diferente

Você vai precisar atingir um nível excelente para conseguir que os DJs toquem suas músicas, esse patamar vai demorar um tempo para ser atingido. Mas existe um atalho.

O Brasil desde Carmem Miranda e a Bossa Nova é sinônimo de boa música no exterior, não vejo nenhum motivo para nós ficarmos imitando os europeus em nossas produções. Eles na verdade esperam que os brasileiros como bons musicistas tragam as suas raízes a tona.

Você pode não gostar do Funky Carioca e nem querer saber quem é o DJ Malboro, mas os produtores nacionais tem muito o que aprender com o gênero nacional de maior sucesso internacional dos últimos tempos.

O Dj Malboro tocava nos bailes, músicas de Miami Bass (gênero americano em que predominam batidas quebradas e linhas de baixos potentes). Como poucas pessoas falavam inglês, a audiência cantava em cima das bases em português tentando entender o que as letras diziam, assim nasciam as melôs. O Dj Malboro poderia estar tocando estas músicas até hoje, mas chegou um momento que ele percebeu que se o público já tinha criado as letras, era só ele transformar as melôs em músicas. Com isso nascia o Funk Carioca.

Sendo o criador de um novo gênero, você será visto como um ícone desta cena e não apenas como um coadjuvante ou mero espectador de um mercado que já existe a um bom tempo como o House, Techno e Trance.

Por que não criar o Forró-Techno (você se lembra da música da sanfona que fez muito sucesso em 2007? – Samim / Heater), Mica-Trance ou qualquer mistura com sabor nacional.

Cursos de produção musical

Eu indico como a forma mais rápida de aprendizado, um curso de produção musical, nele você vai ganhar experiência muito rápido, pois alguém com certeza já teve os mesmos problemas que você vai ter sozinho, esse alguém (seu futuro instrutor) já tem as respostas. Ao entrar em uma turma você vai poder também aprender com os outros alunos e quem sabe encontrar parceiros para produções, selos ou projeto de Live Pa.Você vai precisar do hardware (computador) e software (sequenciador e plug-ins) bem como placa e caixas de som.

Qual é a sua maior dificuldade para começar a produzir?