Tutorial

Quanto cobrar

Quanto cobrar de cachê?

Essa é uma dúvida que assombra tanto artistas que estão iniciando a sua carreira, quanto artistas conceituados que poderiam estar cobrando mais pelo seu trabalho. Leve sempre em consideração que a forma mais rápida de encontrar uma festa para tocar é criando a sua. Tendo a sua festa, com certeza vai começar a aparecer outros […]

» Escrito por em 13.11.09.

Quanto cobrar

Essa é uma dúvida que assombra tanto artistas que estão iniciando a sua carreira, quanto artistas conceituados que poderiam estar cobrando mais pelo seu trabalho.

Leve sempre em consideração que a forma mais rápida de encontrar uma festa para tocar é criando a sua. Tendo a sua festa, com certeza vai começar a aparecer outros promoters querendo levar o seu trabalho e público para o clube dele.

Via de regra: Nunca toque de graça

Claro que existem exceções:

  • Quando você faz uma permuta (roupa, mensalidade de academia e até bebida);
  • Aniversário de um amigo;
  • Casamento de um amigo;
  • Festa da sua empresa;
  • Aniversário de um promoter que pediu encarecidamente a sua presença;
  • Eventos beneficentes.

Quando algum promoter entra em contato comigo,  eu tendo sempre direcionar para ele fechar o cachê com a agência, se eu sinto que posso acabar perdendo o cliente pois ele quer fechar rápido (no fim das contas no meu caso tudo passa pela agência), eu acabo negociando o valor.

Antes de passar qualquer valor eu faço algumas perguntas:

  • Onde vai ser a festa?
  • O lugar é grande?
  • Quantas pessoas ele está esperando?
  • Quem são os outros DJs que vão se apresentar na mesma noite?
  • Quem são os outros DJs que já tocaram para ele?

Raramente eu cheguei a perguntar, quanto é o valor de entrada mas pode também ser um bom referencial.

Cache

Assim fica mais fácil de imaginar, quanto ele vai ter de receita e quanto ele pode pagar. A ideia de fazer esse levantamento em momento algum tem a pretensão de lesar o contratante, mas sim de encontrar um preço que fique justo e confortável para todos os envolvidos.

Um pergunta que pode ajudar também é: Quanto você está pagando para os outros DJs? …ou quanto você costuma pagar?

Se eu for tocar com um projeto de Live Pa, com o M.I.K.E A/V, acabo fazendo um orçamento diferente.

Posso até pedir um valor relativamente alto como por exemplo: R$5.000,00.

Mas nesse valor incluo:

  • Live Pa do M.I.K.E A/V;
  • DJ set do Ilan;
  • Dj set do Mateus B.;
  • Vj Jim trabalhando como VJ a noite inteira;
  • Vídeos instituicional da festa (para divulgação on-line,  pré-evento);
  • Imagens do Vj Jim, criadas especialmente para o evento (seguindo a identidade da festa ou clube);
  • Cobertura do evento no dgtl.lv/clients/ilankriger/wordpress;
  • Captação e criação de um vídeo promocional do evento (pós evento);
  • Palestas ou workshops com os artistas do projeto;
  • Decoração especial.

Para negociar uma diminuição no valor do cachê, é possível cortar alguns destes itens. No fim das contas com esse pacote inteiro fica barato para o contratante.

Mas qual valor eu peço?

Via de regra o seu cachê não pode ser menor que R$100,00. Em Curitiba, nos clubes ele varia entre R$200,00 e R$750,00 para um artista local.

Como você estipula o valor do seu cachê? Você acha que pode cobrar mais?

Comente sobre este assunto no Google Wave:


.
.
.



Deixe seu comentário

  1. Realmente este assunto é muito polêmico entre os DJs da atualidade.

    Posso estar enganado, mas pelo que me recordo, cachê começou a ser problema quando as "tecnologias" começaram a facilitar a arte de discotecar. Surgimento de softwares para Djs praticamente mixando automaticamente, contadores de BPM e a internet com seus downloads de MP3 oportunizaram a criação de uma classe nova de DJs que gostam de "brincar" em casa, e acabam se empolgando e em alguns casos (eu ja vi isso!) até pagando para poder tocar meia hora em uma noite em determinados lugares. Creio que este foi um dos grandes motivos para os promoters terem tanto poder de negociação com os Djs locais.

    Mas isso tudo teve um ponto positivo que foi o fato de forçar os Djs profissionais a criar novidades em suas apresentações para se diferenciar do padrão que se criou onde se chega na casa noturna com um Dj Set (em alguns casos pré preparado), e simplesmente se coloca uma música atráz da outra sem nem se quer ligar um botão de efeitos. Vejam que não quero despresar um simples DJ Set, pois quando feito com profissionalismo, até mesmo um dj set da trabalho, pois você tem que pensar no estilo que vai seguir, como vai conduzir a construção do set, se vai estar preparado para uma pequena variação no caso do público não aceitar muito bem a linha normal do set etc.

    Sobre a estipulação do preço, eu procuro fazer as mesmas questões que o Ilan comentou:

    – Tamanho da festa;

    – Expectativa de público;

    – Histórico de Djs da casa;

    – Levo em conta também quantas vezes a casa ja me contratou para tocar.

    Para encerrar essa "bíblia" rsrs, acho que este problema ainda vai durar por um bom tempo até passar um pouco a "moda" que se criou atualmente na profissão de DJ.

    Um abraço!

    Fernando Lunelli
  2. Realmente essa é uma questão complicada, ainda mais para artistas novos, que não são conhecidos pelo público, mas nem por isso tem que ser desvalorizados, pois por trás de um live PA existe todo um trabalho e investimento para que o mesmo aconteça.

  3. Como sempre, mais uma excelente dica. Você sempre consegue levantar assuntos que aparentemente são simples, mas todos acabamos tendo dúvidas.

    Mais uma vez Parabéns pelo seu trabalho. Abraços

    Vinicius Magalhães
  4. Olá Ilan e readers,

    O sitens do post estão perfeitos.
    Eu incluiria ainda o investimento gasto do artista como um adicional no valor final do cachê.
    No meu caso eu levaria em conta os investimentos do meu curso de DJ realizado em SP, do curso de Produção Musical e de outros “Upgrades” realizados.
    Resumindo: qto mais seu investimento (leia-se seu “Suor”) maior seu cachê.
    Valorize-se com bom senso.

    Abraços!

  5. Fala ae galera

    Muito bom essas dicas, uso algumas delas.

    Já tive problemas com isso, um amigo meu que faz festa, ele é muito ganancioso, queria ganhar dinheiro sozinho, estamos brigados e nem nos falamos mais.
    É uma pena pois acho que um ia aprender muito com o outro.

    Mais é isso ai.
    Seguir em frente e tentar arranjar outros “amigos que fazem festa”, rs.

    Abrax galera.

  6. A composição do meu cachê vem através da experiência que eu adquiro com o tempo. Ou seja, está em uma constante crescente.

    Levo em consideração os djs e clubs de grandes nomes que fui convidado a fazer warm up e oportunidade de tocar, e prêmios e indicações na mídia.

    Grandes nomes sempre trazem maiores exposições e resultados, o que somam a sua ‘imagem’, que neste sentido, está intimamente ligado ao seu trabalho.

    De 2006 pra cá, houve um aumento de até 300%. (variando de acordo com o tipo da festa, obviamente)

  7. Vixxx
    o eterno dilema !!!

    Outro problema também é o nicho de mercado em que vc atua.

    Os undergrounder´s sabem mto bem como é isso.

    Otimas dicas ilan.

  8. E complicado porem achoq ue no brasil a cultura de dance music nao e tao solida como na europa e no usa logo falta uniao entre os djs.
    Acredito que aqui o dj e um pouco menos valorizado. Eu morei 14 anos fora do brasil e nao vejo tanta diferenca entr eos djs brasileiros e de fora. No brasil tem muita gente boa. Logico que se voce comparar brasil com alemanha ou inglaterra blz esta longe porem se comparar com outros paises como usa, franca, italia acredito que no brasils e bobiar tem ate mais talentos poren nao ganham nen 10% o que eles ganhan por la…

    eric Foxx
  9. É já passei por cada uma tbm viu , fui contratado uma vez pra tocar em Toulouse na França por um cara que escuto meu set pela internet la por meados de 2002 , nem digo que felicidade foi poca né um sonho tocar fora do Brasil, doce ilusão chegando la um carinha foi me buscar no aeroporto que me levou pra um hotelzinho que parecia mais uma pensão de interior até ai né por por estar fissurado de tocar fora tava nem ai , fui toquei a festa bombou mas na hora do $$$ ninguem viu ninguem sabia de nada , só fui com 500 dollares no bolso e a passagem de ida e volta , sem contar que meu note book fico barrado na alfandega de la né pq diziam que eu tinha q comprovar que era meu e bla bla bla ,
    Otra é aki em Goiania mesmo aki se voce quer tocar em alguma casa daki ( só tem 2 mais eletronico e 1 uma de boys e patys estilo pacha )tem que tocar de graça ow então amargar um cache de 100 paus e olhe la pq a choração pra ser de graça é graaannndddeee , é uma vergonha espero que isso mude um dia , tenho certeza que muitos dos djs de cidades (fora os eixos tradicionais do sudeste ) sofrem como eu pq dj na sua cidade não é reconhecido ……

  10. Realmente um assunto difícil …
    Como já li algumas matérias em outros sites e BLOGS . O q acontece hj em dia:
    Aquele q realmente se dedica, veste a camisa e amor ao q faz, geralmente fica para trás … Mas, se vc é famoso e resolver ser DJ, aí seu cachê é alto … Temos o exemplo mais recente do JESUS LUZ, não tenho nada contra a quem quer virar DJ , e sim os q querem se aproveitar da situação … Hj tenho meu valor pelos anos de conquista e trabalho, sou musico toco bateria , percussão e violão, e sou DJ desde 1990 … HJ tenho meu LIVE , dou aula aqui em Sampa para pesoas q querem entrar nesse mundo artistico … Mas sempre faço uma primeira pergunta: Pq vc quer ser DJ … se for por moda, prefiro nem dar a aula, até pq AMO a minha profissão e tenho meu nome à zelar … Quem me conhece sabe, AMO realmente tudo isso … Pena, q é uma classe, não muito unida … Pq o q vejo de cara, querendo puxar o tapete um dou outro … Meu Deus !!!

    Mas bela matéria Ilan, e sobre o valor ou jeito q meu cachê é cobrado, é exatamente dessa forma q vc mencionou … Depende do meu SET UP, DJ ou LIVE …

    Abs a todos do Forum …

  11. [...] Acesse o artigo no dgtl.lv/clients/ilankriger/wordpress [...]

  12. Realmente complicado essa questao as dicas realmente sao otimas.
    Agora vc tambem pode achar uma celibridade e tirar umas fotos
    para alguns revista ou site que vc pode Cobrar o que vc quiser que
    os promoters vao te pagar o que vc quiser !!!!

    Alexandre
  13. O problema não é o valor do cachê.. mas sim o promoter que quer (na maioria das veses) colocar “qualquer um” pra tocar.. sem se importar com a qualidade técnica, feeling e etc..
    Além de ser uma grande falta de profissionalismo, é uma falta de respeito absurda com o público que paga ( e alto ) para assistir a um show.

    Na minha opinião, para termos uma cena digna temos que começar por esses pontos.. e claro, como alguns falaram, galera tem que se UNIR!!!!!!

    abraxx.

  14. não vejo a hora de cobra 750 por show =D

  15. Todo mundo tem razão em tudo o que disse, mas ninguém lembrou de falar da bagagem musical, isso sim eu acho que faz diferença, pois é cultural, não ha tecnologia, celebridade, ou qualquer coisa que consiga tomar espaço do seu conhecimento. Dependendo do nicho de mercado que voce atua, as opções de Djs fica tão estreita que o contratante paga bem, pois não sobra muita solução. Vou deixar uma frase para reflexão: ” Quanto mais gente faz a mesma coisa igual a voce, menor é a remuneração em qualquer area”. Então, quer ganhar bem? Inove, seja diferente tecnicamente, conheça muiiiiiiiiiiiitoooooo de musica, de varias épocas e estilo, mesmo que voce seja especializado num genero só. Quando me contratam, faço muita pesquisa sobre o publico da festa, perfil, idade, frequentadores, sexo, e monto meu plano de repertório, isso torna cada noite uma nova experiencia!! Ai dependendo do grau de dificuldade e exigencia de pesquisa defino o cache!

    André Motta
  16. é meio contraditório esse assunto, mas dando uma lida no novo livro do Danny Rampling, me deparei com o seguinte texto (está em inglês, mas creio que a maioria entenda)…. o texto comenta de qual a melhor maneira dos novos Djs encontrarem uma balada para tocar…

    Today I’m just going to give you a simple tip for getting a gig……

    This is one of the biggest challenges that every DJ has faced at some point in their career.

    The business is as competitive today as it was 20 years ago, with thousands more aspiring DJs hungry for success and gigs.

    One important thing to remember is that there are so many more bars and clubs to approach which therefore gives you more of an opportunity to secure a gig.

    Be prepared to go and spin for free to get a foot in the door as many of today’s top DJs have.

    For example my first paid bar gig after many nights working for free totalled £9.00 which Just about paid for the cab home across London back in the early 80s.

    Select a venue (club or bar) that you would love to play at, show up regularly and get to know the management staff. Talk to the resident DJs who will generally share information about who you need to talk to to get booked.

    Try out this approach. It’s only one of many I talk about in the book, but very often this will work for you so long as you are confident and so long as you constantly visualize what you want. Set your goals high and so long as you persist, you will achieve them.

    Its all about perseverance and unbreakable rock solid belief. Think about one of the greatest inventors of our time, Thomas Edison. It took him over a thousand attempts to create the light bulb: one of the finest displays of succeeding through trial and error.

    If you want something bad enough and are willing to put in what it takes, you will get there with focus and commitment. So many people get so close to achieving what they want yet give up and go back to what they were always doing.

    You must be prepared to keep going, even when 20 people say ‘Sorry, there’s no DJ gigs available’. Don’t take this personally and just accept that this is all part of the journey.

    Hold onto YOUR vision, network with people and get out and about. It’s also about the law of averages: ask 30 bars or clubs for a gig and 1 of them will say yes.

    ‘You have to be in it to win it!’

    If you’d like to buy the ebook today and get started on your DJ career go to http://www.learnhowtobeadj.com – filled with great nuggets to help you get you going!

  17. Foi mal pessoal, mas acho que essa pergunta vai muito mais além do simples valor de um cachê. Infelizmente estamos chegando em um ponto onde a música está praticamente descartável, não esqueçam disso.

    Não quero gerar polêmica, mas hoje em dia com muitos usando software pirata e baixando mp3 de graça para montar o set como fica essa questão? O valor deve ser apenas em cima da técnica, pesquisa e carisma? Ou devemos levar em consideração o investimento do profissional que tenta evitar a pirataria?

    E se formos considerar o investimento, então alguém que possui situação financeira mais favorável, podendo comprar diversos equipamentos e softwares de mixagem para deixar tudo pronto na hora de tocar, e que foca mais na apresentação e no público usando esses recursos, deve ganhar mais que outro que leva apenas um case de CDs?

    E para o dono da festa, o que importa mais? O profissionalismo, a apresentação e resposta do público, ou o preço?

    Vamos pensar de outra forma. Quando compra um carro você prefere segurança, visual, performance ou preço? Se importa que tenham peças roubadas? Se importa com qual empresa construiu o modelo? Se importa com as consequências por trás da construção?

    Enfim, acho que todas essas questões também devem ser colocadas na discussão. É complicado.

    Eu particularmente gosto de colocar música em primeiro plano, propósito em segundo e por fim o financeiro, mas ninguém vive de luz e vento, então… é isso ae.

  18. Bom eu to lendo post atras d epost e nego ta falando a mesma coisa. Nego discute picuinha de dj, discussao que dj tem envez de se unir. Discute se quem toca com mp3 pirata ou nao, discute bagagem musical ou nao , carisma enfim todas essas coisas ai. A discussao acima nao e o que e um bom dj, como um dj pode ser respeitado ou nao. A discussao e sobre reconhecimento, sobre pagar por um trabalho feito. Acredito que a discussao nao deve entra rno emrito do que e um bom dj e sim que dj e trabalho, e todo trabalho tem que ser pago. Nionguem contrata um seguranca ou um piloto de aviao de teste sabe. Se trabalha e pago e ponto, se nao gostar paga e nunc amais chama enfim. Nao sei se e culpa do PUBLICO que nao entende o que e um dj bom ou ruin, que nao vaia quem toca musica ruin, que prefere ver um dj famosos envez do que um dj que tenha bom som sendo famoso ou nao. Ou se o problema sao dos djs que nao se valorizan. Nao conseguem mostrar que sao diferentes do outro dj que toca de graca enfim.

    A saida que muitos djs utilizam e utilizaram desde de sempre e organizar as suas proprias festas. Tem risco e verdade porem voce chama outros djs nacionais para tocar e internacionais e consegue networking bacana. Voce faz amizade com o publico porque nego se interessa e quer info das festas. Voce tem que contratar divulgadores etc etc etc E pode tocar tamben en tao e uma forma bacana de conseguir networking, porem por outro lado e caro e muitoooooooo trabalhoso.

    E complicado isso, mas eu acredito que falt aorganizacao por parte dos djs. Nao e porque tem muito dj por ai que nego nao vai pagar os djs. Tem muito advogado tb, tem mt vendedor, tem mt seguranca por ai mas nego nao trabalha de graca como dj trabalha. Nego nao trabalha pra ganhar 10 reais numa noite. Pode ser que muitos d enos trabalhamos d egraca porem amamos muito mais a profissao do que vendedores, segurancas, pilotos enfim…

    E uma discussao longa e extensa que mais djs no braisld everiam discutir conversar sobre isso enfim. Temos que discutir as coisas e nos unir.

    Eric Foxx
  19. O complicado é começar em um mercado, entupido de dj’s atomix, tocando por consumação, em casas pequenas, que seriam a entrada de novos DJ’S no mercado!

    Nunca me detive a isto, nem parei pra reclamar! Talvez porque o tempo que meus amigos perdem “chorando as pitangas” eu estou consolidando meus contatos!

    Quanto mais conheço os dj’s, mais vontade fico, de ser promoter!

  20. Acho que vale a pena considerar uma base de R$ 100,00 com alguns fatores que aumentam:
    – tempo de carreira (mesmo que o dj seja bom, um novato nunca ganhará o mesmo que alguém com alguns anos de carreira)
    -locais de destaque de já tocou (sempre valoriza)
    – djs de destaque que estavam no mesmo line que vc (dá pra ter uma comparação, afinal dificilmente um zé ninguém fica no mesmo line que alguém muito bem renomado)
    -fotos e material que pode ser usada para divulgação (o club também ganha com uma divulgação mais bem feita)
    – algum concurso, duelo, ou curso no qual vc tenha sido aprovado (melhoramentos)
    – reconhecimento do público
    -experiência no exterior, e em outras cidades
    -se for mulher e tocar bem
    – head do line up

    E alguns fatores infelizmente diminuem o cachê do dj:
    – o amador ou iniciante
    – intervalo de tempo muito grande entre a última balada e a que está sendo negociada
    – aquele cuja repercurssão não é das melhores
    – material desatualizado

    E claro galera, se for formado na aimec o cash aumenta beeeemmmm mais!

  21. Galera, eu acho que não é uma questão de tabelar o preço, e sim de você como artista/DJ/live pa ser uma atração pros clubs e eventos!

    Eu trabalho como club promoter no Rio há 7 anos de festas mainstream, e consigo enxergar bem os dois lados, tanto do artista como do contratante.

    Aqui rola muito funk, já fiz um monte de festas com MCs… todos conhecem o MC Leozinho, do “Se ela dança, eu danço”. A primeira vez q contratamos ele, ele pediu 800 reais e achamos caríssimo, mas pagamos, ele ainda não tava estourado. No auge do sucesso dele chegamos a pagar quase 10.000 reais sorrindo, pq ele tava lotando qq coisa em q ele cantasse, e foi um ótimo custo/benefício.

    Esse é o grande ponto da questão! Pra ajudar vc pode fazer o seguinte:

    – Ter boa relação com promoters/contratantes
    – Fazer seu mailing pessoal, para divulgar onde vc toca
    – Convidar pessoas pras suas gigs, levando mais publico pro evento
    – Tocando de graça para cada promoter para mostrar seu trabalho, uma ou duas vezes
    – Tendo boa presença na web, mesmo vc não sendo uma celebridade, ser um cara formador de opinião na sua cena local

    Valeu!!!!!!!

  22. Ah… claro, isso tudo aliado a uma técnica perfeita, feeling idem e total sintonia musical com o estilo do evento q vc está tocando.

    Já vi muito DJ de merda choramingando nas comunidades da vida na internet, pq ganha cachê ruim… aí não rola!!

    Abss

  23. Boas dicas galera, mas queria saber sobre a variação do cash para o DJ SET e para o LIVE PA, afinal são coisas bem diferentes, que envolvem equipamento, bagagem musical, etc…se alguem puder opinar
    valeu abraxxxx

  24. Tocar de graça uma ou duas vezes?

    Eu sou um ninguem ainda, e acho que tocar de graça é prostituição! Quer mostrar seu trabalho, reduz o cachê, mas de graça, além de você não levar o leite pras suas crianças, você esta tirando das crianças dos outros!

    Eis MINHA opinião! Promoter e Dj também!

  25. Tipo, eu digo tocar de graça se vc confia no seu taco, se vc é um DJ mediano pra fraco, ou simplesmente não tem nenhum diferencial que vá chamar atenção do promoter, realmente não é uma boa idéia tocar de graça, pois não vai ter nenhum atrativo pro futuro contratante.

    abs!!

  26. criar networking é a uma excelente dica!
    : )

  27. Com todo respeito, tocar de graça não sei se vale a pena também, confio muito no meu trabalho… tanto que senao nao estaria a 15 anos fazendo isso, eu trabalho só como Dj, tenho varias contas pra pagar, em 1 dia que toco sem receber, é $ a menos pras contas no fim do mes… varia muito da situacao… talvez se fosse em um dia que eu nao tivesse nada e fosse ficar em casa… ainda assim levo meu trabalho como qualquer outro, trabalho, pessoas ganham em cima de mim e eu preciso ganhar o meu… tenho argumentos suficientes para provar que sou bom em 5 min só conversando… e não é falar isso querendo me gabar, mas só eu sei o que ja passei nesses 15 anos pra chegar onde estou hoje

  28. Poxa de graça no inicio é valido depois eum certo noe ,é melhor d graça mgrandes evetos, tipo te ncixar no meiod 2 internacionais do que ir no baratim ,rsrsrs, cada um cadaum, é meiopolemico né ….PAZ a tds.

  29. Então, dei uma boa lida em tudo isso, e todos estão abordando temas muito interessantes.

    O Ilan fez um ótimo post, muitos tem dúvidas sobre cachê.

    Muito bom mesmo.

    Agora, em relação a tocar de graça não se trata de se prostituir, se trata de divulgar seu trabalho, lógico que ninguém é burro. Se vc tocou em uma boate e o promoter viu e ouviu vc tocando, e te pede rpa tocar de graça é porque ele ta pexinxando.

    Só o fato de ele pedir sua presença é porque gostou de você e do seu som.

    O fator bagagem musical também conta bastante, mas se vc vai por isso ou nao na hora de fazer o cachê, só depende de você.

  30. Hey, Djs, vcs estão só olhando para si mesmo!!! Prestem atenção ao Felipe Senne que diz que é promoter de eventos, ou seja, ele é outro lado da ponta:

    “Galera, eu acho que não é uma questão de tabelar o preço, e sim de você como artista/DJ/live pa ser uma atração pros clubs e eventos!”

  31. interessante ilan abordar isso pois é uma questão complicada… vivo sofrendo disso, fico pensando se vale a pena cobrar mais caro, mais barato… a questao é que vc deve ser justo, como por exemplo num dia de sol o dj com uma área coberta, com segurança pq se alguma coisa acontece com o equipamento o cliente nao tem obrigação de pagar, mais quanto tocar em boates e clubs acho muito dificil, pq na maioria das vezes o dono do club tem um conhecido de um amigo ai chama pra toca e vai ve no final das contas o resultado sai um lixo, acho q o importante msm é fazer o q gosta e como o ilan falou, fazer sua propria festa q é o melhor jeito de divulgar seu trabalho.

    Giovanni
  32. Tb sou promoter, RJ, e uma coisa me irrita imensamente numa conversa inicial com um DJ: quando ele me pergunta qual é a festa, quantas pessoas, o preço do ingresso… Se eu não o conheço pessoalmente, o que quero saber é: "Quanto vale seu trabalho tal noite?" Se eu quiser contratar um DJ pra tocar só p mim vai sair mais barato do que pra duas mil pessoas? O PROFISSIONAL deve saber o preço do seu trabalho, independente da festa. Cabe ao promoter avaliar se o DJ é possível pra ele ou não. Pensem – se vc não tem definição e fica jogando com o promoter, pode apostar que o promoter vai jogar com vc.
    Outro ponto: o que interessa é resultado. DJ que investe, faz mil cursos, paga Ableton, mp3, o caramba e esvazia pista pra mim não tem valor algum. Trabalho com público que não é mainstream, que sabe reconhecer um bom DJ nos mínimos detalhes. Então não aceito ninguém menos que perfeito tecnicamente, mesmo que toque de graça. Não vou queimar minha festa, meu trabalho, que é construído com o tempo. (underground é trabalhoso e exigente, normal) E sim, alguns amigos, em algumas situações tocam de graça, se oferecem pra tocar. Muito tempo sem festa vc fica fora da cena. Perde o feeling. Se o promoter é seu amigo MESMO, hj ele pode não te pagar, mas amanhã, num evento maior ele vai te prestigiar até pq vc já é conhecido dos clientes dele.
    Sim, um DJ que tem – e usa – mais recursos que seu case COSTUMA ter cachês melhores. Mas não é regra, existem DJs aqui no Rio que são garantia de casa cheia sempre pela qualidade de seu trabalho, sem levar um mísero laptop. E esses todos os promoters daqui pagam felizes. (exemplos: maurício lopes, gustavo tatá… a gente nem precisa divulgar muito e eles não usam o network deles não. é boca a boca mesmo. e lota.)
    E em tempo: o DJ é um ARTISTA. Vc não está como um vendedor ou advogado. Eu tb sou artista (atriz) e raríssimas vezes ganhei pelo meu trabalho. Quando ganhei sempre foi merreca, mas fiz pq amava. Faz parte. Se não está disposto a ralar e mostrar seu trabalho, nem comece, não se aborreça.
    Desculpe se alguém achar as palavras um tanto duras, mas a cena nunca foi fácil (nem pra mainstream, qt mais underground) e dificilmente vai ser. Nada vai cair do céu, ninguém vai nadar em dinheiro: donos das casas, promoters, DJs… As casas pressionam pra pagar cada vez menos aos promoters, eu AMARIA dar um cachê incrível pra todos sempre. Mas VOCÊS são os artistas, vocês que tem o público nas mãos, cabe a vocês inovarem, fazer a diferença de qualquer molequinho amador. O promoter é um realizador e gerenciador de projeto. Nossa parte é burocrática e marketeira. O encanto, aumento e fidelização do público é com vocês.

  33. Mandou bem Felippe! Ótima resposta, assino embaixo.

  34. Adorei os comentários!
    Bom, eu tateio a profissão (por ser atualmente meu hobby) desde 2008 e toquei pouquissimas vezes (uma festa que fiz para amigos e outra pra retribuir favor num evento da faculdade), depois os estudos da facul me tiraram o tempo pra realmente me dedicar ao assunto e tentar me profissionalizar mais, portanto ainda me considero como amador.

    Nessa de troca de favores, entrei numa fria tremenda. Uma das condições que impus pra ajudar na festa era de ter no mímino a condução de ida e volta garantida. Quanto a ida, foi tudo certo, ja na hora de voltar eu me vi com todo o equipamento tendo que esperar um onibus em plena Lagoa da Conceição. Por sorte, uma das organizadoras conseguiu me enfiar no carro dela que ja estava lotado e não foi nada facil, mas voltei….

    Nando Peiter
  35. Diante disso, pensei em algumas questões para o valor do cachê futuramente:
    *Equipamento que levarei
    *Condução e segurança do mesmo (se vou d carro, de taxi, etc)
    *Tempo que vou tocar e em qual horário da festa
    *Como faço faculdade, em época de final de semestre eu cobraria mais, mas nao muito
    *Valor que considero justo pela minha experiência (que como ja disse, não acho muito vasta)
    *E um valor mínimo pra essas circunstâncias que seria a volta do taxi.

    Nando Peiter
  36. Obviamente tem muito muito mais como os comentários ai acima já demonstraram com mais precisão, mas como DJ iniciante eu cobraria algo em torno do mínimo estipulado.

    Sou ator a mais de 10 anos e mesmo confiando no meu talento como ator, acho injusto como artista trabalhar sempre de graça, e olha que já perdi a conta de quantas vezes já tive que fazer isso.
    Entretanto, eu escolhi fazer isso como o meu ganha-pão. Portanto, chega uma hora que o amor pela profissão já nao vai mais te dar a experiencia que vc quer pra tocar de graça, ou que vc precisará pagar suas contas como nosso amigo acima.

    Em outras palavras, é uma questão de vc saber avaliar quando tal oportunidade será uma experiencia a mais ou algo profissional e lutar por isso quando a decisão for tomada.
    ´
    Será o amor, o comprometimento, postura, ética e seu profissionalismo que farão a diferença para que um dia isso tenha o reconhecimento merecido.

    Nando Peiter
  37. mesmo vendo todas estas dificuldades que alguns dj enfrentam na sua profissão.eu ainda ñ abro mão do sonho de tornar um dj,sempre avera obstaculos em sua vida,todo começo é dificil,toda profissão tem seu altos e baixos momentos,mas encare a vida como ela é,mas algum dia você chega lá,é só quetão de tempo,ñ pense que as coisas vão vir mastigadinho que ñ é bem que funciona as coisas,pense nisso que sempre averá umaresposta,e nunca esqueca,seja você mesmo tente ser original,ninguém quer uma copiado por outra pessoa,e o que sustenta tudo isso?o seu sonho é claro ,nunca desista dele pois sem ele você ñ será feliz e ñ serás nada,eu ñ sou dj,(ainda)por motivos financeiros,mas eu ñdeixarei sonhar por motivos idiotas,nunca de o braso a torcer.apenas uma opinião de um sonhador!

  38. e isso ai galera ,mas sabe oq e mais foda,uns caras ai q nao entende porra nenhuma ,compra 2 caixinhas de som e um pisca pisca e acha q tem os don de tocar em uma festa vc cobra 500 o maldito vai la e cobra 50 nem ganha dinheiro e atrapalha quem realmente vive disso e e profissional …porq infelismente tem promouter q nao vai atras de qualidade ,vai atraz de preço..

    abraços

    dj fabricio moreira
  39. Moçada, li todos os comentários e concordo com todos, mas sinceramente o que vocês precisam aprender urgentemente é ESCREVER DE FORMA CORRETA!

    Salvo alguns poucos que li, em regra os textos são muito mal escritos, e não falo de erros de digitação, abreviações ou gírias e sim erros grosseiros de concordância, ortografia e por aí vai!

    Pensem que a expressão verbal e uma boa articulação, principalmente na hora de uma negociação contarão muito a seu favor. Falar ou escrever errado, denota falta de interesse, desleixo e pura falta de conhecimento.

    Vamos lá pessoal, caprichem na redação e mandem ver nas pistas!

    Fui!

  40. OLA ENTAO CARA Á MELHOR FORMAR DE COBRAR É POR PORCENTAGEM E SE TEM ALGUEM COBRANDO MUITO BARATO FODA SE VALORIZO O QUE FAÇO E O TRABALHO QUE TENHO SAUDAÇOES MC XUE O OCULTO 2012 ABRAÇO.

  41. CONCORDO 100% COM VC EU TANBEM ESTOU INIÇIANDO MINHA CARREIRA AGORA NAO ME CONSIDERO COMO UM PROFISIONAL MAIS ME ESFORSO PARA SER UM BOM AMADOR E SEI QUE COM TODO OS ISFORSOS QUE FIZ PARA CONPRA UMA BCD3000 E UM NOT ME FIZERAN VIR ATE ESE ARTIGO QUANTO COBRAR EIS A QUESTAO SINPLIS IREI COBRA UM PRESO DE UM AMADOR SE EU FOSE UM PROFISSIONAL SIM COBRARIA O PRESO DE UM PROFISSIONAL
    NAO TEMOS QUE DIZE A IREI COBRA 250 PRA ESE CLIENTE PQ ELE TEM MAIS CONDIÇOES 150 PRA ESE PQ TEM MENO NAO SINPLISMENTE PRESO JUSTO CLARO Q COMO NO 1 PARAGRAFO TEM LA SUAS EXEÇOES FORA ISTO CONCORDO COM O TRABALHO E SITUAÇAO DE CADA DJ PRESENT NESE SITE BOA NOITE!!!!

  42. mas como faço se meu cache é baixo quero dar uma aumentada e ninguem dos que conheço que me hamaram quer paar um novo cache abraço bezouro dj

    bezourodj
  43. [...] eletrônica, ele também é DJ e toca House, JR aproveitou a boa discussão que aconteceu no artigo Quanto cobrar de cachê? aqui do site, para montar uma apresentação detalhada de todos passos importantes que devem ser [...]

  44. [...] eletrônica, ele também é DJ e toca House, JR aproveitou a boa discussão que aconteceu no artigo Quanto cobrar de cachê? aqui do site, para montar uma apresentação detalhada de todos passos importantes que devem ser [...]