Produção Musical, Live Pa, DJ e VJ

pitch-para-que

Pitch para que?

Você vai continuar fazendo sinal de fumaça enquanto todo mundo está mandando e-mail?! A “grande evolução” que está se aproximando nada mais é que um retorno às origens dos djs e da velha maneira de se escutar música em geral. Você sabe quando surgiu o primeiro dj?! 10, 20, 40 anos atrás!!!! Não, não e […]

» Escrito por em 13.12.08.

pitch-para-que

Você vai continuar fazendo sinal de fumaça enquanto todo mundo está mandando e-mail?!

A “grande evolução” que está se aproximando nada mais é que um retorno às origens dos djs e da velha maneira de se escutar música em geral.

Você sabe quando surgiu o primeiro dj?!

10, 20, 40 anos atrás!!!! Não, não e não!!

Na verdade ele surgiu há pelo menos 10.000 anos, nas tribos primitivas, onde sempre existiu uma figura central que ditava o ritmo da “festa” utilizando um tambor, estas festas duravam muitas horas e eram muitas vezes regadas a raízes alucinógenas, alguma similaridade com as “raves” modernas?

A maneira de se consumir musica só sofreu uma grande mudança no ano de 1955, até então música era consumida através de partituras, em cada família existam pelo menos 2 ou 3 músicos que tocavam diferentes instrumentos, assim ficava fácil escolher os timbres (instrumentos) e também o andamento (velocidade), esses artistas quando tocavam para uma audiência podiam cortar um trecho dá música que não estava agradando ou ainda melhor repetir uma parte que o publico gostou, foi só depois de 1955 que surgiu a industria fonográfica como nós conhecemos atualmente, as músicas ficaram presas em gravações (discos/fitas/cds), passamos então a se acostumar a escutar o mesmo fonograma tocado do começo ou fim. Com os novos softwares de mixagem toda essa maleabilidade perdida vai voltar às mãos dos djs que terão o poder de modificar e criar versões próprias ao vivo.

O formato vinil ainda deve se manter ativo em pequenos nichos como Hip Hop, Drum n Bass e djs de performance (aqueles que detonam em scratchs e firulas mirabolantes), nestas áreas o toca-disco deixou de ser simplesmente um tocador de discos para virar instrumento musical.

A própria indústria da música está sentindo a necessidade de desenvolver novos formatos para continuar vendendo, em uma conversa informal com um dos diretores do Wall Mart Brasil, ele afirmou que a queda da venda de cds é de 20% ao ano, muitos profissionais da indústria já defendem que as músicas no futuro vão ter custo zero para os clientes, produtor musical só vai ganhar dinheiro com shows.

Pitch para que?!

No inicio da era dos “djs” modernos, era raro conseguir sincronizar musicas de velocidades diferentes, pois não existiam ferramentas para isso, os djs tinham que usar artimanhas para trocar de uma música para outra sem quebrar o clima da pista, os toca discos com controle de velocidade (pitch) facilitaram em muito esse processo e com o advento dos cdj-s ainda ficou mais fácil sincronizar as musicas.

Posso até ser execrado por esse Blog, mas eu acredito que em poucos anos nenhum dj vai precisar mais se preocupar com a tarefa de colocar as musicas em sincronia, pois softwares como Ableton Live, Traktor, Virtual dj ou qualquer outro software que permita isso vai dominar se tornar o novo padrão. Hoje em dia eu não aconselho a ninguém a pular diretamente para este formato apesar de djs renomados como Sasha e Pete Tong (ambos da Inglaterra) já estarem tocando a um bom tempo assim, o ideal é você adicionar um laptop aos equipamentos ainda disponíveis nos clubes para apimentar os seus sets. A criar coisas que um dj tocando com cds e vinil nem pode imaginar.

Principais softwares de mixagem utilizados por Djs profissionais:

Ableton Live

O Ableton Live esta na sua sétima versão, ele vem revolucionando a produção musical principalmente por suas duas telas de arranjo que permitem uma maleabilidade muito maior que qualquer outro software, vem se tornando padrão em apresentações de Live Pa e bandas com batidas eletrônicas.

www.ableton.com

Prós:

-Software muito intuitivo

-Software muito maleável (se adapta a sua necessidade)

-Grande facilidade de conectar controladoras externas

-Grande facilidade de trabalhar com áudio e Vst (instrumentos virtuais)

-Muito fácil de cortar pedaços de musicas para serem remixados ao vivo

-Estabilidade

Contras:

-Preço

-Não permite a discotecagem com vídeos

-Dificuldade de organizar as musicas por nomes, artitas e gêneros

Traktor

-Melhor software destinado a djs do mundo, produzido pela conceituada empresa Native Instrumentos.

Prós:

-Facilidade de encontrar musicas por nome, artista, gênero e outros

-Conexão de efeitos inovadora

-Facilidade de criar loops

-Estabilidade

Contras:

-Só trabalha com máximo de 4 canais

-Software pouco intuitivo

*Glossário:

No universo dos djs, muitas palavras são especificas e sem esse entendimento pode ficar difícil de entender essa coluna:

-Acapella: versão especial de uma musica, contendo apenas o seu vocal.

-Mp3: formato compacto de musica que revolucionou a troca de musicas principalmente pela internet

-Pitch: controle disponível em toca disco e Cd players para Djs, que permite aumentar e diminuir a velocidade de uma musica.

-Reedit: corte e duplicação de partes de uma musica

-Hot cues: na maioria dos Cdj existe só um Cue que marca o ponto inicial de uma musica, permitindo um rápido retorno para esse ponto, em Cdjs com hot Cues o Dj pode marcar diferentes pontos de uma musica para reeditar ela ao vivo.

-Mash-ups: é a mistura de duas musicas, na musica eletrônica muitas vezes essa mistura não é autorizada e é criada por djs e produtores em estúdio,



Deixe seu comentário

  1. Caraca… e pensar q DJ’s já existiam á milênios (mesmo sem saberem q eram DJ’s hahaha) Muito interessante o texto!!! =D

    Diego Junio
  2. Olá Ilan,
    Vai a dica do Torq, que inova em todos os sentidos e é nativa a ligação por Rewire com o Ableton.
    Na minha opinião o ponto que o torna não tão divulgado aqui no Brasil, é o estigma que alguns tomam que M-Audio não presta no todo (assim como todo Fiat é tomado como um Fiat 147) e também o fato que ele não é “pirateável” pois só funciona com o Conectiv ou o Exponent plugado (só comprando o hardware pra experimentar). Eu tenho os 2 com a versão 1.5 do Torq, adoro a sincronia que ele faz com os 16 canais de samples e os efeitos internos, usando vinil com o Conectiv ou o Jog do Exponent que é comutável online. Já usei o Virtual DJ e o Traktor mas nenhum dos 2 me deu a navegabilidade e a forma tão intuitiva pra usar que o Torq dá, acho sensacional o browser para os MP3 e o sistema de Library e Playlist automático dele, edição e search por tag, bpm, comentário, etc, opção de exclusão de search (quero todos os “Ibiza” menos os “Psy”), a pré escuta no browser ainda possibilita gravar sample na hora com sincronia na barra, fora o fato da marcação de bpm dele ser muito precisa, muito fácil de editar e corrigir músicas com variação de bpm, gravando tudo em arquivos .tqd com o mesmo nome da música. Os vários botões de cue e loop do Exponent são matadores também. Integração perfeita de software com hardware.
    O touchpad do Exponent me da um “mini KaosPad” para os efeitos e também funciona como mouse para meu Macbook (legal não ter que ficar pondo a mão no note, só uso mesmo pra escrever).
    Comecei a usar junto com o Ableton e ficou muito legal a sincronia de bpm que ele faz, obedecendo o Torq ou o Ableton, comutável na hora pelo Torq. Muito boa a integração dos 2. Legal mudar o pitch do toca disco e o Ableton acompanhar.
    Agora só falta eu comprar minha APC40 pra ficar perfeito ! :D

    Abraço e continue com esse sucesso !

    Osmar Iurkievicz
  3. [...] clipped from dgtl.lv/clients/ilankriger/wordpress [...]

  4. não é que mando sinal de fumaça a questão é que quero ser conssiderado dj, não um robo