Se você está esperando um mega-tutorial que vai te abrir infinitas possibilidades sônicas, infelizmente este não vai ser o artigo ideal.

Apesar de já ter carregado o carro no dia anterior e ter chego ao colégio Francisco Zardo, uma hora antes do começo do nosso show, isso não salvou a nossa apresentação de ser um grande fiasco.

Me assustei, quando me vi cercado de 2.000 jovens querendo ouvir um som alto, enquanto não saia som da caixa.

Os fatores que ajudaram na tragédia do Zardo foram:

  • Falta de contato com a coordenação do colégio;
  • Falta de uma visita anterior para estudar o melhor local para montar o som;
  • Falta de um cabo para ligar o microfone (no desespero nós usamos o headphone como microfone);
  • Falta de tempo para passar o som – nós só tivemos 15 minutos para montar tudo.

Dentre mortos e feridos a lição que eu tirei de hoje foi: Mesmo que de tudo errado, mantenha a calma e faça cara que está tudo certo.

Dar tudo errado e demonstrar isso para o público, são coisas muito diferentes (obrigado pelo toque Mateus).

Confira o vídeo do nosso embate:


Neste semana ainda vamos ministrar uma aula na APAE, tem show e competição de remix na regional Santa Felicidade e no Palacete Wolf.

Aguarde muitas emoções nos próximos capítulos.